domingo, 23 de novembro de 2008

O céu está um pouco mais rubro-negro

O Arquibancada Digital presta uma homenagem a um dos maiores ícones da história do Clube de Regatas do Flamengo. Faleceu hoje pela manhã o radialista Celso Garcia. Um dos maiores nomes da história do rádio esportivo brasileiro, Celso ficou conhecido como o "Garoto do Placar" nas transmissões futebolísticas. Pupilo do grande mestre Waldir Amaral, Celso foi um grande incentivador do rádio, também conhecido por ter dado suporte a vários iniciantes, como o narrador José Carlos Araújo. Celso Garcia era muito respeitado por todos no meio.

Mas seu maior feito (pelo menos para mais de 35 milhões de brasileiros) não foi alcançado no rádio. Há mais de 40 anos, precisamente na manhã de 28 de setembro de 1967, Celso Garcia mudou a história do Flamengo para sempre. Foi o dia em que o radialista levou para o Flamengo um menino franzino de 14 anos, mas com muito talento. Seu nome: Arthur Antunes Coimbra. Celso Garcia foi o descobridor do Zico.

O Galinho estava apalavrado com o América, onde era ídolo seu irmão Edu. Naquela manhã, Celso foi a Quintino, na casa dos Antunes, pedir para que Seu Antunes deixasse o filho ir treinar no time de coração. Convencer o pai foi fácil. Difícil foi fazer Modesto Bría, ex-jogador e ídolo paraguaio que comandava as categorias de base do Flamengo, acreditar que aquele frangote de menos de 40kg seria jogador de futebol. Celso conheceu Zico jogando futebol de salão pelo Juventude de Quintino, num jogo no River Futebol Clube, quando o garoto fez simplesmente 10 gols na goleada de 14 de seu time.

Usando sua verve de comunicador e se aproveitando de ser respeitado por todos, Celso Garcia armou uma situação e convenceu Bría a dar uma oportunidade para o menino. Zico então vestiu uma camisa do Flamengo, calçou suas chuteiras e entrou em campo no jogo-treino. Na primeira vez que tocou na bola, meteu a bola no meio das pernas de um marcador duas vezes maior que ele. Jogou muito, fez o gol da vitória, encheu os olhos do paraguaio, que não conseguia entender como aquele menino raquítico, com dentes tortos, dentro de um short que cabiam três dele, jogava tanto, e foi aprovado para ficar. O resto é História.

O corpo de Celso Garcia será enterrado hoje, às 17:00h, no Cemitério de Inhaúma, no Rio de Janeiro. No mesmo momento o time do Flamengo entra em campo em Belo Horizonte, contra o Cruzeiro, onde será observado um minuto de silêncio. O presidente Marcio Braga decretou luto de três dias no clube.

Tive a oportunidade de conhecê-lo na Gávea e agradecer pessoalmente pelo maior ídolo da minha vida. Celso Garcia sempre estava sorrindo. Agora ele deixa a Nação Rubro-Negra triste. Triste, mas agradecida por toda a eternidade.

Celso Garcia, muito obrigado em nome de todos os torcedores do Flamengo e de quem gosta de futebol. Descanse em paz.

2 comentários:

Claudio_Nunes disse...

"O céu está um pouco mais rubro-negor", concerteza!
Um exemplo de um verdadeiro flamenguista!

Alexandre Matos disse...

Isso aí! Cansou de defender as causas rubro-negras Brasil afora.